máscaraA história do carnaval começa a ser datada antes de Cristo, através das festas que ocorriam no antigo Egito. Esses festejos aconteciam para realizar eventos religiosos e rituais na época de colheita. As pessoas bebiam, dançavam e pintavam seus rostos. Outros indícios apontam para o surgimento do carnaval em festas onde eram praticadas orgias em homenagem a deuses.

Na Era Cristã, essas festas pagãs foram sendo rejeitadas pela igreja e passou a ocorrer antes da quaresma e terminando na quarta-feira de cinzas. O carnaval é uma festa cuja a data pode ser alterada, pois ela está ligada à Páscoa. Durante a Idade Média, o carnaval foi ganhando novas características como confetes jogados nas pessoas, desfiles de cavalos e carros enfeitados.

O famoso Baile de Máscaras começou a acontecer durante o século XV, através do papa Paulo II. As máscaras possuíam um simbolismo para as mulheres e seu uso aumentou no século XVIII, em cidades como, Florença e Veneza.

Esses bailes foram intensificados pela Commedia dell'Arte e surgiram personagens conhecidos até hoje, o Arlequim, o Pierrô e a Colombina. O Pierrô era sentimental e estava apaixonado pela Colombina, que representa criadas de quarto. O problema é que ela é amante do outro personagem, o Arlequim (rival de Pierrô). Esse último personagem é um palhaço cômico e falso.

Outra vertente da festa de carnaval foi o Entrudo, que era uma festa realizada em países europeus. Pessoas pobres se fantasiavam e andavam pela cidade se sujando com limões, água e farinha. As festas também recebiam a participação dos ricos da época; porém, eles não se envolviam com os populares.