fantasia de carnavalCom a informação de que ocorriam maravilhosos bailes de carnaval na Europa, os brasileiros tentaram realizar o mesmo evento em terras tupiniquins. Os primeiros bailes ocorreram por volta de 1840, na cidade do Rio de Janeiro, e a festa passou a ocorrer repetidas vezes graças ao interesse da população. Nos bailes cariocas, dançavam-se ritmos como a valsa, xote e quadrilha. Enquanto isso, as pessoas permaneciam festejando com o Entrudo pelas ruas da cidade.

O primeiro clube de carnaval do Rio de Janeiro surgiu por volta de 1855 e recebeu o nome de Congresso das Sumidades Carnavalescas. Diferente dos bailes, esse congresso brincava nas ruas com músicas e fantasias.

Os grupos que saem às ruas para pular carnaval começaram a ser chamados de foliões e alguns recebiam influências da cultura negra e aspectos mais populares para festejar. Nessa época, surgiram os ranchos, que eram desfiles em forma de cortejo. Junto com o maracatu e os cordões, eles eram as manifestações mais realizadas nos carnavais até o início do século XX.

A partir de 1907, uma nova prática para curtir o carnaval começou no Rio de Janeiro e em outras cidades. Era o corso, um desfile em carros conversíveis. Com o crescimento do carnaval de rua, esse tipo de desfile foi rareando e desapareceu por volta da década de 30. O primeiro samba foi criado em 1917, por Donga e Mauro de Almeida e recebe o nome de Pelo Telefone. É um ritmo musical influenciado pelos africanos, pelo maxixe e o tango.

A primeira escola de samba surgiu em 1928, no bairro Estácio, com o nome de Deixa Falar. Para o surgimento, há controvérsias sobre a primeira agremiação, já que o termo cordão e rancho era muito usado.Em 1929, ocorreu a disputa entre as escolas Deixa Falar, Vai como Pode e a Mangueira, na Praça Onze. A ganhadora foi a agremiação Vai como Pode. 

Em 1932 é realizado um baile de carnaval, no Teatro Municipal. Tem início o sucesso das marchinhas de carnaval em estados como Rio e São Paulo. Na década de 50, surgem os trios elétricos na Bahia, com a ajuda da dupla Dodô e Osmar. Na década de 60, o governo do Rio de Janeiro passa a manter arquibancadas para que a população pudesse acompanhar os desfiles.

Em março de 1984, foi inaugurada a Passarela do Samba, o Sambódromo, que foi projetado pelo famoso arquiteto Oscar Niemeyer. Em 1991, foi inaugurado, em São Paulo, o Polo Cultural e Esportivo Grande Otelo, o sambódromo do Anhembi. Os desfiles no século XXI passam a receber incentivo financeiro de empresas privadas, prefeituras e entidades. Já o primeiro carnaval fora de época longe da Bahia, conhecido como micareta, ocorreu na cidade de Campina Grande, Paraíba.

Carnaval no Nordeste

No nordeste, as festas de carnaval aconteciam nos clubes. Na Bahia, foi lançado o clube Os Inocentes em Progresso e os afoxés, que festejam as tradições africanas. Enquanto isso, no Recife, surgiu o frevo e em Olinda, os foliões dançam ao som do Maracatu.

Bahia: Com a invenção do trio elétrico, em 1950, empresas passaram a investir no segmento. Cresceu a participação de grupos de afoxé, com formação feita pelos negros. Eles curtem o carnaval vestidos com roupas dos nobres da África e cantam em uma língua africana. Além disso, também há a participação de blocos afros como o Olodum e o Ileaiê.

Já os carnavais de rua acontecem principalmente em cidades como Olinda e Recife. No maracatu, os participantes utilizam roupas que representam personagens como reis, rainhas, príncipes e índios. Dançam e seguem bonecas gigantes chamadas calungas.

O frevo, com presença marcante no estado de Pernambuco é um ritmo que embala milhares de pessoas durante o carnaval. A população dança e executa passos rápidos e acrobáticos. Os grupos de frevo mais famosos são os Pás Douradas, os Vassourinhas e o bloco Galo da Madrugada.

Curiosidades Sobre Carnaval

  • A mulher mais velha que desfilou na Sapucaí foi a atriz Dercy Gonçalves, em 1991. Ela tinha 84 anos;
  • sinal interrogaçãoAté o ano de 1997, os samba-enredos deveriam optar pelos temas de cunho nacional;
  • A maior campeã do carnaval carioca é a Escola de Samba Portela, que, até o ano de 2012, já ganhou 21 vezes;
  • A Portela foi a primeira escola a usar uma comissão de frente uniformizada, destaques e alegorias;
  • O Grupo Especial do carnaval carioca é organizado pela LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) desde 1985;
  • A paradinha realizada pela bateria da escola foi feita pela primeira vez em 1959, pela escola Mocidade Independente de Padre Miguel;
  • Em 1984, a transexual Roberta Close foi eleita a musa do carnaval brasileiro;
  • No desfile de 1989, a escola de samba Beija-Flor desfilou com o samba-enredo Ratos e Urubus Larguem a Minha Fantasia. O carnavalesco Joãosinho Trinta havia criado uma alegoria onde o Cristo Redentor aparecia vestido de mendigo. Uma decisão judicial vetou a alegoria e ela foi para a Sapucaí com uma cobertura de saco plástico preto e com frases de protesto; 
  • Em 2001, a modelo Renata Banhara desfilou pelas 14 escolas de samba do grupo especial da cidade de São Paulo. O recorde foi parar no Guinness Book;
  • No carnaval de 2008, a celebridade Ângela Bismarchi fez uma cirurgia plástica temporária para deixar seu olhar oriental. Era uma homenagem ao tema da escola de samba onde iria desfilar, a imigração dos japoneses;
  • Há um bloco de rua no bairro de Campo Grande, no Rio de Janeiro, que se chama Geriatria e Pediatria;
  • Durante a década de 30, a Ala das Baianas era formada apenas por homens;
  • O regulamento para julgar as escolas de samba é feito pela LIESA;
  • No desfile de 1992, da escola de samba União da Ilha, ocorreu uma falta de luz no sambódromo durante o desfile. A escola foi obrigada a desfilar por vários momentos às escuras;
  • No desfile da Acadêmicos do Grande Rio em 2001, um dublê americano voou pela Sapucaí com a ajuda de um foguete portátil.
  • Em 2011, o barracão de uma escola de samba do grupo de acesso do RJ, chamada Alegria da Zona Sul, foi atingida por fogo provocado por um curto cicuito. Para o carnaval do mesmo ano, a escola ficou carente de verba e doações para que fosse realizado o seu desfile.
  • Morreu, em dezembro de 2011, o famoso carnavalesco Joãzinho Trinta, vítima de um choque séptico, pneumonia e infecção generalizada. Joãozinho Trinta ficou conhecido por suas inovações e criações em escolas de samba como a Beija-Flor e Salgueiro.